sábado, outubro 21, 2006

Contra a pena de morte

Sempre fui e sempre serei contra a pena capital. Alguns já me disseram:
“E se barbarizarem algum ente querido seu?”
sempre respondo:
Deixa comigo que sei o que fazer!
Um dos grandes problemas que deixo para os que são a favor resolverem é a questão dos inocentes. Quinta-feira 19/10
Um condenado à morte nos Estados Unidos, suicidou horas antes da execução.Michael Johnson ,de 29 anos, que dizia-se inocente o tempo todo com uma veemência que impressionava os funcionários da prisão, foi achado em sua cela sobre uma poça de sangue, após cortar sua jugular e uma artéria do braço com um pedaço de metal. Antes de morrer, o rapaz escreveu na parede com o próprio sangue a frase:

"Não fui eu".

Ironicamente, Johnson foi levado a um hospital, onde foi declarado morto às 18h horário em que deveria ter sido executado.
Aposto que era inocente. Agora é tarde!

36 Comments:

Anonymous Anônimo said...

Tendo ele se suicidado não prova que ele realmente era inocente.Parece que você desconhece a capacidade de um psicopata.

21 outubro, 2006  
Blogger Marco Aurélio said...

Acho que não leu direito. Disse que APOSTAVA no rapaz. Não disse que ele não tinha culpa. Este tipo de comportamento me parece mais de um inocente do que de um psicopata. Acho que se fosse inocente e não conseguisse provar isto, faria o mesmo. Depois leia na internet sobre o caso e veja como pessoas realmente capacitadas a lidar com bandidos e loucos também suspeitavam da inocência dele. Em uma coisa você tem razão. Devia ter dado exemplos cabais de execuções de inocentes.

21 outubro, 2006  
Anonymous Paloma said...

Nos Estados Unidos , onde a justiça considerada "maravilhosa", de 1893 a 1979, 21 pessoas foram condenadas à morte e sua inocência provada depois. Essa via não possibilita a reparação do erro pois a vida não pode ser devolvida.

21 outubro, 2006  
Anonymous Anônimo said...

Se você só "apostava" na inocência dele sem nenhuma convicção,então por que finalizou com a frase:"Agora é tarde".

21 outubro, 2006  
Blogger Marco Aurélio said...

Prezado anônimo

Pô será que não entendeu ainda!?
Eu APOSTO que ele era inocente por isso acho que agora é tarde. Não tenho certeza se ele matou ou não um homem em 1995. Ele foi avaliado por psiquiatras que atestaram sua sanidade mental. Até os que lidavam diariamente com ele, achavam que não era culpado. As provas eram insuficientes e confusas. No meu entender seu ato foi de um inocente desesperado. Se não entendeu até agora não explico mais!
Só mais uma coisa. Seus comentários me lembraram muito um post de uma amiga

http://direito-e-sociedade.blogspot.com/2006/10/saber-para-depois-criticar.html

Um abraço e volte sempre!

21 outubro, 2006  
Blogger Professor said...

Marco Aurélio, obrigado pela visita a um dos meus blogues cuja intenção é só a de evitar que o que se escreve em papel se perca.
Quanto à Pena de Morte, digo-lhe que desde menino de escola [4ª. classe, 10 anos]sempre me orgulhei muito de Portugal ter sido dos primeiros paises a abolirem-na. [Nessa altura ainda se estudava História de Portugal na Escola Primária]. Mesmo os psicotatas não se devem matar; devem ser tratados.
Apareça sempre que lhe apetecer.
Um abraço

21 outubro, 2006  
Anonymous Matheus fernando vieira de oliveira 7a said...

ae marco colokei meu nome intero
ehheh
e ae
vc tinha comentano com a gente la na sala sobre este assunto
muito paia mesmo
coitado
nao devia te feitio nada e foi culpado mesmo assim
flows ae

21 outubro, 2006  
Anonymous Anônimo said...

Olá Marco Aurélio. Primeiramente parabéns pelo blog. Ainda nao li muita coisa mas dei uma passada de vista e gostei.

Bom, eu sou a favor da pena de morte. Acho que a humanidade tem direito (dado por Deus) de estabelecer formas punitivas que possam evitar que nos tornemos monstros assassinos. Vejo a pena de morte previamente estabelecida e "ensinada" a toda populaçäo como algo justo.

Todavia nao sou louco a ponto de acreditar que a Justiça (principalmente a Brasileira) é justa. Daí precisamos desenvolvê-la, melhorá-la, estudá-la. Há países em que a Justiça é mais justa. E lá a coisa funciona.

Erros, infelizmente sempre väo acontecer. Há inocentes em prisao perpétua. Há inocentes sendo presos a todo tempo, alguns sendo assassinados nas cadeias, outros pagam o preço - perdem anos de vida - e saem pior de lá. E essas coisas sao a prova de que a pena de morte já está sendo praticada de alguma forma.

No caso brasileiro, precisamos reformar a Justiça. Só entao poderíamos implantar a pena de morte, que nao deve ser feita no espírito de vingança mas de respondabilidade social.

Esse é meu pensamento.
Um forte abraço.
Inté!

21 outubro, 2006  
Blogger Marco Aurélio said...

Éverton

Primeiramente, respeito muito a sua opinião, e concordo que
erros realmente sempre väo acontecer e há inocentes em prisao perpétua mas como disse a Paloma, nesse caso existe a possibilidade de reparação do erro pois a vida não foi retirada.

Um abraço

Marco Aurélio

21 outubro, 2006  
Anonymous jus navegandi said...

Acho que todos
deviam ler

http://www.dhnet.org.br/direitos/penamorte/helioperegrino.html

21 outubro, 2006  
Blogger SAM said...

O que eu posso subentender aqui é que a pena de morte só poderia ser possível numa sociedade perfeita, e como não vivemos numa...

Em Portugal comemora-se o aniversário da abolição da pena capital, com bastante orgulho! Está-se de parabéns!

Mas antes de comemorarmos um detalhe do problema, espero que algum dia possamos comemorar a eliminação de todo o problema: que o próprio ato criminoso seja vergonhoso a ponto de que não se cometa e de que a justiça seja deveras justa e imparcial. Isso só poderá ser alcançado mediante a evolução das quatro dimensões humanas.

Agora, quanto ao caso em si: tenho pensado em casos assim nos últimos tempos. E acho que uma coisa fica: a liberdade da pessoa não é eliminada. Ele decidiu sendo (possivelmente ou não) inocente o momento da sua morte. A decisão final foi sua! Ele optou poder decidir o final, apesar de tudo. Não sei se um psicopata é capaz de decidir apesar de seja o que for...

21 outubro, 2006  
Anonymous Jaqueline said...

Oi Marco,
só passei por aqui para assinar a lista de presença.
Bom fim de semana!
Um Abraço!
Jaqueline Líria

21 outubro, 2006  
Anonymous Carmen said...

Marco

Independentemente de dar cabo da vida de inocentes ou culpados a pena de morte é uma grande contradição. Não se justifica sob nenhum ponto de vista. É o estado legitimando a barbárie. Lamento que tantos sejam a favor dessa lástima.

Um abraço.

21 outubro, 2006  
Blogger Tozé Franco said...

Não concordo com a pena de morte em qualquer circunstância.
Um abraço.

21 outubro, 2006  
Blogger Kafé Roceiro said...

Concordo totalmente com você, cara! E definitivamente não gosto de anônimos. Falam o que querem e não mostram a cara? Bah! abração...

22 outubro, 2006  
Blogger Santa said...

Caro Marco,

Este é mais um aviso do que um comentário. Peço desculpas se não visito meus amigos na medida que gostaria. É que infelizmente o problema da minha mão direita retrocedeu. Voltei às sessões de fisioterapia (+ 15). Consigo visitar um a três blogs por dia e tenho que interromper. Isso não impede que leia os blogs. Por outra, só não fechei o blog da santa ainda é porque minha indignação é maior do que a dor física. Bjs. E um Bom domingo!

22 outubro, 2006  
Blogger WAPTE said...

Bem, vou ser curto e grosso. (alías como sempre, porque nunca sou anônimo). Minha opinião é a seguinte: discuto a validade de ser contra ou não a pena de morte. Isto porque a diferença está entre a humanidade e a bárbarie. Digo bárbarie porque não quero comparar os adeptos da pena de morte com animais (os quais merecem muito mais respeito). Creio que uma pessoa que vive no século XXI e ainda é a favor da pena de morte, não está falndo sério, ou é "barrigada perdida". E ainda tem gente que diz que Deus aprova isto. Será que ele tem contacto direto com Deus?.

22 outubro, 2006  
Blogger Ricardo Rayol said...

É bem por aí. E se tiver que dar o troco por conta de algum ato contra alguem proximo vou pelas vias ilegais e que se dane

22 outubro, 2006  
Blogger Diário da Camilla said...

Achu que um dos maiores problemas da nossa sociedade atual é o fato d estar sempre "olhando p nosso proprio umbigo"...Esquecermos q existem pessoas ao nosso redor.. Obrigado por passar no meu blog.. vc eh bem-vindo por lah!!

Terno beijo

22 outubro, 2006  
Blogger Thata said...

Oi Marco, já fiz uma replica ao seu comentário em meu blog.
Mas quero só reafirmar que a questão de existir um sistema de penalização como esse,já prova o que são Os Sere Humanos ditos racinoais....ou melhor Nós!!
Um abraço!

22 outubro, 2006  
Anonymous ailton 351 Pedro II said...

Bom dia Marco Aurelio,primeiramente afirmo que tambem sou contra a pena de morte porque nem sempre a verdade chega no momento certo.Mas as vezes tenho algumas duvidas principalmente com tal barbaridade que os crimes sao cometidos.Ate breve amigo.

23 outubro, 2006  
Blogger Juraciara said...

Começo dizendo que sou professora de Direito Penal e, portanto, tudo o que eu disser terá uma forte influência do que vivo e do que estudo no ramo do Direito Penal, contudo, não consigo ficar silente diante de um problema que eu considero um dos mais graves no surreal campo do direito penal: o utilitarismo do Direito Penal (ou seja, o uso indevido desta Ciência para resolver conflitos sociais).

Gostaria de um dia ter um diálogo realmente sério com uma pessoa que me mostrasse argumentos sólidos e científicos sobre as vantagens da pena de morte, pois o que vejo, inclusive de pessoas ditas cultas, são verdadeiros “achismos” pseudo-empíricos.

Para quem acredita que “Deus” legitima a barbárie, deveria ler um pouco sobre a evolução histórica do Direito Penal e perceber que admitir a pena de morte seria um retrocesso sem tamanho na história da humanidade! (Aliás, Deus não legitima nada, pois o homem é responsável pela sociedade em que vive e todas as mazelas que ela abarca. Quando Deus se torna argumento político-social, estamos diante do fundamentalismo, conceito este que acredito que não preciso dizer ao que leva).

Mais uma vez concordo com Wapte (pra variar – queria conhecer este sujeito): é um absurdo que alguém pense em pena de morte em pleno século XXI! Acredito ser uma total falta de capacidade de ver que o Direito Penal não resolve os conflitos sociais: fome não se mata a bala!

O Direito Penal tem uma clientela extremamente selecionada, quais sejam, os excluídos socialmente. E não sou eu quem diz isto, há estudos demasiadamente sérios demonstrando a quem o direito penal é dirigido (e não são aos inseridos socialmente). É muito cômodo ficarmos na frente do nosso computador, tomando uma “coca-cola” e vestindo uma calça “Diesel” e afirmar que “bandido bom é bandido morto”!

A luta contra o crime não pode empreender-se a custa do sacrifício das liberdades e garantias do cidadão, pois o respeito aos direitos fundamentais é irrenunciável. Ferrajoli, grande estudioso sobre os direitos fundamentais, nos informa – o que convém sempre lembrar – que cada um deles é fruto de muitas lutas e, portanto, não devemos abrir mão baseando-nos apenas no discurso insustentável e legitimador da barbárie, que é a pena de morte!

Um bom filme sobre o utilitarismo do Direito Penal e a abolição dos direitos e garantias fundamentais, pelo argumento do medo, é “V de Vingança”, que nos mostra como somos manipulados o tempo todo para abrirmos mão dos nossos direitos historicamente conquistados!
Outro bom filme é "A vida de David Gale", que é uma história real sobre professores universitários pacifistas que "armaram" contra o Estado para demonstrar como a pena de morte é falha.

Queria ter dito muito mais, mas tenho que trabalhar e não posso ficar por mais tempo, mas não sem antes trazer os questionamentos de Foucault sobre o Direito Penal em seu livro “Vigiar e Punir”: quando punimos um ser humano com a pena de morte (ou mesmo de prisão) estamos querendo ser “justos” ou estamos querendo saciar a vontade incontrolável de vingança que existe dentro de nós? Qual é o parâmetro de “justo” que adotamos quando desejamos a morte de alguém? E com Kelsen (meu grande mestre) eu respondo: NÃO HÁ UM ÚNICO PARÂMETRO DE JUSTO, PORTANTO, QUEM SOMOS NÓS PARA DIZER SE ALGUÉM DEVE OU NÃO MORRER? ACHAMOS QUE NOSSA VALORAÇÃO SOBRE O MUNDO O RESUME? No mínimo, seria muita pretensão achar que sim!

Em tempo: termino com o ensinamento que dou aos meus alunos no primeiro dia de aula: o Direito Penal não pode NUNCA ser pensado (cientificamente) baseado na pergunta “E se fosse comigo ou com meu filho”?

Um grande abraço! E parabéns mais uma vez Marco por trazer temas tão importantes de serem discutidos e (re)pensados!
Adorei a menção ao meu blog!

23 outubro, 2006  
Anonymous Paulo Pedro said...

Quanta idiotice.

23 outubro, 2006  
Blogger WAPTE said...

Até que enfim, aparece uma pessoa que nos fala a cerca do Direito Penal com relação ao tema proposto no site. Devemos, inicialmente rejeitar como anti-científico para não dizer outras coisas pessoas que diante de uma explanação técnica que certamente ele não entende dizer enfaticamente "Quanta idiotice".
Ao invés de agredir gratuitamente uma professora de Direito Penal, ele deveria apresentar os argumentos que invalidam o discurso e o entendimento desta pessoa. Mas estamos diante disto. Continuo achando que estamos entre a humanidade e a babárie. A escolha é da maioria. Eu continuo contra a pena de morte por razões que eu posso discutir seriamente. Parabéns para a professora Juiciara.

23 outubro, 2006  
Blogger Juraciara said...

Agradeço a gentileza "Wapte" e que bom que ainda existem pessoas que conseguem ver algo mais do que o que está inequivocamente aparente.

Caro "Paulo Pedro" pensar as vezes dá um trabalho danado e alguns consideram isto uma idiotice, o que é uma pena! Mas confesso que neste ponto sou uma idiota completa!

23 outubro, 2006  
Anonymous Kívia said...

Ei Marco Aurelio,
Olha eu sou totalmenti afavor, pois acho que isso pode realmenti acontecer, a pessoa ser inocente... Mas muitas que sao culpadas ficam alguns anos na cadeia muitas vezes fogem, e continuam fazendo o mesmo... Quem sabe assim muita genti Suzana, que matou o seu pai e a sua mae, por dinheiro ja estaria morta como fez com eles! Eu nao acho que pessoas como ela e entre outras devem estar entre nos agora! Bjos

23 outubro, 2006  
Blogger Marco Aurélio said...

Pai e Ju

Vocês já se conhecem pessoalmente só não se lembram. Obrigado pela contribuição de vocês nas postagens, sobretudo nesta que é um assunto altamente importante para a sociedade. Não ligo para comentários anônimos ofensivos, especialmente quando tenho certeza que é só para criar tumulto. Já sei pelo IP quem é o Paulo Pedro. Só não quero dar corda. Por falar nisso conhecem algum Paulo Pedro? Rarrissimo não. Ela devia Ter escolhido Pedro Paulo. “”xá pra lá”.

Kívia

Adoro sua sinceridade. Só perde para o seu sorriso. Não concordo com você mas respeito sua opinião. Quem sabe consigo te convencer ainda do contrário.

Já ia me esquecendo, beijos para o Paulo Pedro!

24 outubro, 2006  
Blogger Luigi Mario said...

Odiar e desejar amorte de alguém é fácil, agora descobrir a verdade e entender as coisas como elas são isso sim, é difícil. Mas como Marco disse e bem, se acontecesse a alguém próximo de nós, é sempre diferente, mas se vivemos numa sociedade justa não podemos ser a justiça ou o ciclo nunca terminaria.

24 outubro, 2006  
Blogger Juraciara said...

Marco,

"Wapte" é seu pai? E eu o conheço? Não me lembro. Eu já conversei com ele? Gostaria muito de (re)conhecê-lo.
De toda sorte, só posso dizer uma coisa diante deste novo fato: agora sei pq você é assim...pai, avô...só podia dar no que você deu: você!
Grande abraço
Ju

24 outubro, 2006  
Anonymous Uma amiga said...

Juraciara

Parabéns pelos comentários. Acho que você conhece o coréio há muito tempo feito eu. Só acho que não sabe que ele não gosta de ser comparado ou reconhecido em relação ao pai e ao avô dele apesar de todo amor que ele nutre pelos dois. Beijos para você!

25 outubro, 2006  
Blogger WAPTE said...

ô amiga, Todo mundo sabe que ninguém gosta de ser comparado com ninguém. O que a Juciara quis dizer, é natural. Uma pessoa que provém de uma família de pessoas que gostam des estudar, em geral também gosta de fazer os mesmo. Ninguém falou que ninguém é melhor que ninguém. Somente somos diferentes e independentes um do outro,buscamos caminhos diferentes, temos espectativas de vida diferentes e cada um segue seu caminho. Acho que temos algumas coisas em comum, dentre elas, gostar de música, matemática (ciências em geral), do GALÔ e sobretudo não votaremos no MuLLA, como nomeou, o Presidente o pudim lá na frente.

26 outubro, 2006  
Blogger Juraciara said...

Eita que o ser humano é complicado heim! Parece mesmo que Wapte me conhece (rs) pois eu quis dizer EXATAMENTE o que ele falou acima. Não é só o Marco Aurélio (que é meu amigo de fé) que nao gosta de ser comparado (e não ao pai ou ao avô, mas a ninguém), é qualquer pessoa!
Cara amiga, só quis dizer que alguém que eu considero gênio como o Marco (que me ensinou a gostar de ler, a amar filosofia e não ter medo do conhecimento)só poderia ser oriundo de uma família com pessoas que, assim como ele, são gênios...sacou agora ou quer que eu desenhe????

26 outubro, 2006  
Blogger Marco Aurélio said...

Pai

Esqueceu-se do xadrez, da política, do direito...
Somos essencialmente diferentes, mas parecidos; independentes, mas inter-relacionados, buscamos caminhos diferentes, mas sempre nos encontramos; temos expectativas de vida diferentes e apesar de cada um seguir seu caminho nunca nos separaremos!

Ju

Obrigado pelos elogios. Quando li o “sacou agora ou quer que eu desenhe????” me deu saudade da sua voz rouca e sensual e de seu sorriso bonito!


Pai e Ju

É isso ai. Mudando de assunto para encerrar, Quando vier de Goiás podemos marcar um encontro nós três!

Bjs pros dois

26 outubro, 2006  
Blogger Ana Paula said...

Marco Aurélio,
obrigada pela visita ao meu blog e por ter citado esse tema tão importante acerca da pena de morte. Concordo que esse, com certeza, não é um caminho viável para reduzirmos a violência! A qual poderia começar a ser reduzida com um pouco mais de atenção e respeito.
Um abraço!

29 outubro, 2006  
Blogger ESTRELA3NEWS said...

Eu penso desta forma, se não for comprovada a inocência do indivíduo, e se for com uma pessoa de minha família. Deve pagar pelo que fez com a morte! Não adianta dizer que se converteu, que agora é religioso e inocente. Tem que haver provas! Fez,que pague com a vida!
Querido amigo, obrigada pela sua visita ao meu blog ESTRELA3NEWS,
tive assim oportunidade de conhecer o seu blog maravilhoso, com assuntos de palpitante interesse. Nota 1000!
Volte sempre,sim?
Adorei!
Beijão
da
SELMA

10 novembro, 2006  
Blogger Steven Allan said...

Acho que a "Verdade" ninguém sabe, até alguns tempos atrás eu achava pena de morte uma coisa certa, uma coisa q quem sabe mudaria nossa situação no país, achava q com pena de morte os ladrões,estupradores,assassinos etc pensariam bem antes de fazer qualquer besteira, mas tae um lado q a gente não viu, e o inocente??? E aqueles caras q são incriminados??? È nisso q eu penso, imagina um cara inocente atras das grades pronto pra ser executado!!! Poxa uma coisa q não sai da minha cabeça é pensa no desespero de um cara desses, imagina a situação, o desespero do cara, putz se existir pena de morte acho q muiiiita gente inocente iria pra cadeia ser executador, eu diria q iria aumentar o numero de mortes. Vamos por uma explicação simples ( não sei se encaixa nesse caso mas vamos la)

Imagina q um cara pega a mulher de um Juíz e tem relacionamentos com ela.

Dae o Juiz descobre q sua mulher o esta traindo.

DAe esse Juiz pra se vingar, procura esse tal cara q ta chifrando ele e poe um flagrante ou qualquer coisa pra incriminar o cara ( Tem muitos caras q fazem isso de sacanagem ).

Dae o coitado q não fez nada demais vai pra cadeia por causa q a mulher do Juiz dava em cima dele, e ele nem sabia q a mulher era mulher de Juiz.

Sei q é uma explicação meio boba, mas em muitos casos, alguns fazem sacanagem com o outro e acabam indo pra cadeia de graça, sendo inocentes, isso é o q rola, não mudaria NADA PENA DE MORTE!! SO PIORARIA!!!

ACho q esse cara q o Marco Aurelio falo era inocente, TENHO 99% de CERTEZA!!!

Um abração Marco Aurélio, poxa tu faz topicos muiiiiiito interessantes!!!

09 março, 2007  

Postar um comentário

<< Home