domingo, julho 16, 2006

Confirmação experimental da seleção natural

Conversando com o Daniel, professor de biologia do Colégio Rui Barbosa, sobre evolução e seleção natural, ele me disse acreditar que ambas, como não estavam sujeitas a simulações experimentais, não podiam ter assim tanto crédito científico.Estávamos discutindo o criacionismo, a fé cega, seja nas religiões ou na ciência entre outros assuntos relacionados. A teoria da evolução que tem como um dos pilares a seleção natural, pode ter dado uma "evoluida" como ciência da natureza.Foi publicado em 14/07/2006, no mesmo dia em que conversávamos, na revista "Science" um fenômeno observado e acompanhado por pesquisadores chamado de deslocamento de caracteres que é o nome dado quando uma espécie adquire características diferentes em razão da competição com outra. Biólogos norte-americanos conseguiram observar pela primeira vez um fenômeno da seleção natural entre espécies de pássaros do início ao fim. Verificaram a redução do tamanho médio de bicos em uma população de tentilhões-da-terra-médios, os mesmos estudados por Charles Darwin no século

11 Comments:

Blogger Marco Aurélio said...

O processo evolutivo segundo Darwin é lento e gradual. Acontece durante vários anos. A gora é VAP VUPT tudo em um ano??? Mais uma vez. Cuidado com a fé cega nas notícias!

16 julho, 2006  
Blogger Orlando Tambosi said...

Marco Aurélio,
obrigado pela visita.
A propósito, falo hoje no conflito entre ciência e religião.

16 julho, 2006  
Blogger Roy said...

A revista Science esta linkada em casa, profe, e a real e que vale mais a pena ler a Science do que ler as noticias... Um explica o outro, e a displiscencia humana explica o resto. Abrax RF

17 julho, 2006  
Blogger Juraciara said...

Então me explica: somos ou não descendentes dos macacos? Se a Teoria da evolução nada explica, nem tampouco a Teoria da seleção natural, devo eu acreditar que sou descendente de Adão e Eva? No fim, segundo seu amigo, será tudo mesmo uma grande crendice!bjos
Ju

17 julho, 2006  
Blogger Marco Aurélio said...

Ju

A linha dos hominídeos de que o homem é originário e a linha dos macacos provêm ambas dos primatas. O homem não descende do macaco. É apenas um “parente” bem próximo. Acredito que em algum momento na história ambos tiveram um ancestral em comum e é só. Pelo contrário, a Teoria da evolução explica muito fenômenos usando a seleção natural como ferramenta.
Estávamos discutindo a fé cega seja, nas religiões, na ciência, na filosofia ou em qualquer outra fonte de conhecimento. O questionamento que ele fez sobre o metódo científico na confirmação da Teoria da evolução procede.

Bjs

18 julho, 2006  
Blogger Juraciara said...

Eu realmente não havia entendido dessa forma, mas assim esclarecido, fico mais tranquila por saber que não preciso aceitar Adão e Eva como meus pais...rsrs
O método nas Ciências anda sendo o meu calcanhar de Aquiles, principalmente nas Ciências Sociais... quanto mais tento buscar um método "limpo", mais "sujo" ele se mostra...A minha pretensão de busca da verdade ainda é quase infantil, pois sei que quero encontrar um método que, na verdade, não existe, principalmente no que se refere às ciências sociais...
Obrigada pelo esclarecimento
Ju

18 julho, 2006  
Anonymous Daniel Boy said...

Evolucionismo: Ciência ou Pseudociência?
De acordo com o modelo evolucionista que atualmente é, para muitos, inquestionável, as mutações e recombinações gênicas originam diferenças nos indivíduos e a partir daí a seleção natural atua conduzindo a formação das novas espécies na medida em que seleciona os indivíduos mais aptos. Mas mutações são raras, não podem ser dirigidas e na maioria das vezes são nocivas. São raras, pois o DNA é dotado de um sistema de reparos de alta eficácia. Isso prova que elas são indesejáveis e que as espécies tendem a se manter estáveis. Alem disso é possível observar que a seleção natural age também como um freio, eliminando os indivíduos que foram enfraquecidos pelas mutações. Por outro lado, se houvesse seleção do mais apto apenas, com o tempo, haveria uma diminuição do número de espécies, e por fim, restaria só uma. Parece até aquela série “Highlander”
Os conhecidos biólogos Kimura, Ohno, G.Willams e R. Lewotin criticaram a evolução com base na seleção natural. Eles insistem que há um conservadorismo das espécies. Até o próprio Darwin se perguntou:
"Por que as espécies são tão bem definidas? Onde estão então as gradações infinitas que minha teoria exige?"
É claro que isso não é colocado nos livros que defendem o dogma do evolucionismo.
Conclui-se então que Darwin não era tão "darwinista" como os seus seguidores. O que se passa é que os darwinistas crêem em Darwin, mas não o lêem. Isto é um costume do ser humano. Pergunte aos marxistas se eles lêem Marx. Ou aos cristãos se eles lêem a Bíblia.
Em relação ao tema “deslocamento de caracteres”, ficou parecendo um retorno ao lamarkismo, onde o ambiente exerce o papel de induzir as mudanças que são posteriormente transferidas aos descendentes. (Quem não se lembra da velha história do pescoço das girafas?)
Coloco aqui algumas perguntas para também discutirmos:
1) De onde veio a energia necessária para causar o big bang?
2) Se o universo caminha para a desordem, porque a escala evolutiva cresce em complexidade?
3) Qual a origem da vida na terra?
4) Como o conceito de espécie se aplica aos seres que só se reproduzem assexuadamente?
5) Aonde estão os fósseis de transição? Não vale a velha história do Archaeopteryx que até para os evolucionistas não é mais o “elo perdido”, embora continue aparecendo nos livros de ensino médio e até superior.
6) Conforme os transformistas, o osso articular e o osso quadrado do maxilar dos répteis teria se transformado no martelo e na bigorna do ouvido dos mamíferos. Nessa transição será que os intermediários não comiam e/ou eram surdos?
7) Sabe-se que normalmente todo corpo aquecido se dilata e, resfriado, se contrai.
Também se sabe que a água quando é resfriada até 4º ela se contrai. E continuando a ser resfriada, entre 4º e 0º ela volta a se dilatar.
Então quando a água de um lago se congela, dá-se uma dilatação de seu volume, e isto é que permite a flutuação do gelo na água. Entretanto, as camadas mais profundas do lago não conseguem congelar-se, porque ficam sem espaço para dilatação. Por isso, num lago congelado, as camadas mais profundas permanecem sempre a 4º de temperatura e jamais se congelam, o que permite à vida lacustre sobreviver. Será que o ambiente se adaptou para permitir a vida dos seres aquáticos? Como explicar esse fenômeno?
8) O que a teoria das probabilidades tem a dizer sobre a evolução?
9) Em qual cientista Marx e Hitler se inspiraram?
10) Toda seleção importa na adoção de um critério, e todo critério supõe uma mente inteligente que o estabeleceu. Quem será essa “mente inteligente”?

22 julho, 2006  
Anonymous Anônimo said...

Here are some links that I believe will be interested

01 agosto, 2006  
Anonymous Anônimo said...

Here are some links that I believe will be interested

08 agosto, 2006  
Anonymous Anônimo said...

Very pretty design! Keep up the good work. Thanks.
»

10 agosto, 2006  
Anonymous Anônimo said...

Interesting site. Useful information. Bookmarked.
»

15 agosto, 2006  

Postar um comentário

<< Home