sábado, junho 03, 2006

Você é uma pessoa atenta

Parabéns por perceber a sutileza. Todos os posts tem relação com suas imagens. Esta noite sonhei com esse fractal depois que consegui pegar no sono. Veja fractais

23 Comments:

Blogger Carmen said...

Olha, Marco:

Quando essas imagens são exploradas com um intuito sensacionalista, ou como no caso da pessoa que te mandou, por uma "curiosidade mórbida", realmente acho deprimente.

Mas o fato realmente importante é que essas pessoas são tão HUMANAS quanto às que tem coração no lugar, dois braços, duas pernas e etc. E não se assuste, porque você precisa se acostumar a vê-las. Ou quando se deparar com alguém com essas características você vai virar o rosto para não ver?

A chance é pequena, mas já parou para pensar que você, eu ou qualquer um dos leitores pode ter um filho assim? Então é bom começar a aceitar. A gente sonha com uma sociedade mais plural, em que os direitos de todos sejam respeitados, em que as oportunidades sejam oferecidas a todos, né?

Então está chegando a hora de você aprender a lidar com essa tal "má sensação". Bebê de três braços é tão humano quanto você.

Só uma curiosidade: ao olhar a foto do bebê de três braços, você se permitiu observar o rostinho dele - que é muito lindinho - ou ficou só chocado com o terceiro braço?

Que tal ver as pessoas diferentes para além da diferença?!?

03 junho, 2006  
Blogger Lâmina d'Água, Silêncio & Escriba said...

Acho que nos esbarramos pelo caminho...

Acho que o único propósito em buscas pela desgraça alheia, deve ser o fato que as dos outros, faz com que seja mais fácil esquecer a própria...

Vou postar hoje e tanto no Trilhas e Terras, quanto no Lâmina D'Água. Ambos estão prontos, mas estou esperado um amigo que vive nos Açores e dividimos o Trilhas. Ele está tecendo letras por lá e logo está pronto. Vais gostar do post do Trilhas...

Tenho umas coisainhas que gostaria de te mandar... Podes me dar teu melhor endereço para isso??? São coisas da tua Boa Matemática e como sou mesmo zero à esquerda no assunto... Não tive a sorte de ter tido bons professores e os que tive, me fizeram afugentar do assunto.

Beijinhos de bom final de semana!!!

Cris

03 junho, 2006  
Blogger Marco Aurélio said...

Carmen

Depois procurei saber e o nome do garoto é Jie-jie. Ele chora quando ambos os braços são tocados, mas sorri e responde normalmente a outros estímulos. É claro que essas pessoas são tão humanas quanto as outras. Acho que me assustei por que não esperava o que ia ver. Nunca viro rosto para não ver coisas deste tipo. Só me assusrei. normal. A chance ter um filho com problemas não é tão pequena assim e já parei para pensar nisso várias vezes. Seria aceito com todo amor.Tenho certeza. No meu entender ser humano não tem a ver com estética ou com genética e sim com as ações.Por isso essa criança, se sobreviver, ainda é mais humana do que eu. Conheço os meus pecados. Ela ainda não os tem.Tenho lidado com "más sensações" bem maiores do que essa causada pela foto surpresa deste bebê. Acho que você deve estar sabendo mais ou menos( qualquer coisa E-mail). Quando olhei a foto é claro que me detive no terceiro braço. Mas depois vem na cabeça de qualquer um, olhar o rostinho dele para ver se há alguma expressão de sofrimento. Claro que não. Só se estivesse com dor. Ainda não tem consciência do que se passa.
Se não conseguisse ver as pessoas diferentes para além da diferença não teria conseguido ter me aproximado de pessoas maravilhosas que hoje são grandes amigas, inclusive, leitoras destas bobagens que escrevo, muito provavelmente por vaidade. espero que se manifestem nos comentários e digam elas mesmas se já as tratei diferente.

Cris

Concordo que o principal motivo em saber da desgraça alheia é esquecer a própria. Pode mandar as coisinhas via e-mail. se for possível é claro. Na Universidade tive a sorte de ter conhecido bons professores que inclusive foram da Carmen também. Na escola realmente é raro aparecer um bom professor. Quando aparece, dura pouco. Um cara bom de serviço se puder ganhar mais, não se submeterá as condições de trabalho e ao salário. Muda de atividade.

Bjs

03 junho, 2006  
Blogger Juvencio de Arruda said...

Oi,Marco.Capturei-a de um blog da zip.net que estava fora do ar na hora em que acessei,devido a problemas técnicos.É da UOL, e ainda não soube de nenhum blog processado pelo uso de imagens de outrem.
Se formos os priomeiros, seremos litisconsortes,eheh.
Bom final de semana.

03 junho, 2006  
Blogger V.Ribeiro said...

Olha, bem lembrado! Sabe o que significa isso? Falta de qualquer coisa, dentro de si..
Agora me diga? Os bichos realmente são irracionais?
E esses animais são o que mesmo?
Falta de leitura (boa leitura) dá nisso..
Abraços!

obs: se acalma ai..outros virão.

03 junho, 2006  
Blogger V.Ribeiro said...

Esqueci...uma coisa.
Não me revolto com o email não. E sim com a desrespeito e a publicação desprovida de qualquer apoio. Somente banalização das desgraças alheias...

03 junho, 2006  
Anonymous marie said...

Parabéns, Marco Aurélio, pelas suas conquistas interiores! É preciso ter muita força! Vou pensar em si, quando estiver perdendo essa força!

Abraço de Portugal

03 junho, 2006  
Blogger Walter Carrilho said...

Bizarrice por bizarrice, temos o Enéas por aqui, que tal? Muito, muito bizarro...

03 junho, 2006  
Blogger Lucia Stevenson said...

Eu ja tinha visto essa foto no site de noticias do msn.com. Nao fiquei impressionada, talvez pelo titulo da reportagem e o texto terem sido selecionados com cautela. Eles discutiam o fato dos medicos e os pais nao saberem se removeriam o terceiro braco do bebe ou nao (imagina...claro que tem que ser removido).

Mas tudo depende da maneira que a estoria e' apresentada. Nao sei pq certas pessoas fazem tanto sensacionalismo de casos assim que acontecem mais frequente do que pensam.

03 junho, 2006  
Blogger Crica said...

É impressionante como tem gente qua faz coisas de profundo mal gosto...
Concordo com a LU, depende do teor que se dá a esse tipo de coisa, e com certeza a intenção de quem te mandou isso não foi das melhores...um idiota, com certeza.
Adorei sua visita no meu blog, abri agora, e vou baixar o que vc indicou e depois te digo.
Bye!

03 junho, 2006  
Blogger Palpiteira said...

Oi, prof., também detesto esse tipo de fotografia. Acho a vida triste demais. Prefiro ver coisas bonitas, como as imagens que posto por lá, hehehe. Não deixe faltar coragem, não. Se a mulher topar, pegue os cachorros e não espere mais.
Beijos.

03 junho, 2006  
Blogger Vlee said...

E com certeza a pessoa que te enviou essa foto nem quis pensar "E se fosse eu, será que eu gostaria que a minha foto fosse divulgada assim pela internet?"
Muito triste mesmo...

Obrigada pela visitinha ao meu blog! E pelo comentário sobre a Richtofen. Pelo que você me disse, parece que a justiça dos homens é a que será feita, e não a de Deus, né?

Um abraço

03 junho, 2006  
Blogger jctunes.blogspot said...

Eu também não gosto de ver imagens bizarras, normalmente não assisto a nenhum programa que anuncie este tipo de assunto e na internet jamais procuro por este tipo de curiosidades.Não me sinto bem explorando tais imagens.

03 junho, 2006  
Blogger Lâmina d'Água, Silêncio & Escriba said...

Não tinha olhado paraa foto que está no link, pois sou um tanto arredia a essas coisas. Me impressiono e não serviria jamais para uma profissional da área médica, por me envolver emocinalmente com todos os casos, mas enfim, lembrei-me de um caso, ao ler o que escreveste para a Carmem...

Minha filha mais velha é uma bailarina profissional e um dia, estava de férias em minha casa e entro em meu quarto me pedidno para que se eu descesse, não me assustasse com a pessoa que ela havia trazido para casa... Imediatamente, desci!!! Era um jovem, sentadinho no chão. Nõ tinha os ossos da pernas. Eram apenas uma tirinhas mirradas de tecido huma, judiado e mal aquecido pela sroupas esfarrapadas. Ela o havia levado para casa, pois resolveu dar a ele o dinheiro para que ele comprasse uma cadeira de rodas. Fez o cheque nominal e enquanto vasculhava roupas quentinhas nos armários, para dar a ele, fui preparar um lanchinho reforçado. Fiz sanduíches de carne assada com queijo e preparei uma garrafa de café, que adocei com a quantidade de açucar que presumi, ficasse de bom paladar e ainda assim depois de haver colocado o açúcar, perguntei a ele segostava mais ou menos doce e ele me olhou meio que parado e disse: sou diabédico!!! Imediatamente pedi desculpas e fui jogar o café com leite fora, para lhe fazer uma nova garrafa e ele então virou-se para mim, ainda sentadinho no chão e me disse que era tão pobre, que não podia dar-se ao luxo de ser doente e recusar uma aliemntaçao. Que de nada adiantaria eu o servir sem açúcar se no dia seguinte ele só poderia comer o que alguém resolvesse lhe dar ou pagar e que ele não tinha mesmo escolha. Com dor e vergonha lhe alcancei a garrafa com o café com leite adoçado, mas o fiz por tê-que visto de olhinhos vivamente brilhando. Ele pegou as coisas e partiu. Passado um tempo, minha filha voltou a encontrá-lo no centro da cidade e ele mostro feliz a cadeira de rodas e vendia pequenas coisas em um ponto qualquer de uma rua movimentada... Embora eu já soubesse, ele acabou por me reensinar que tudo que se faz sem culpas, de fato não faz mal à saúde e nem à alma... Fiquei impressionada com ele e reconheço que de fato estava coberto de razão. Nunca mais o vi...

De todo, ainda não consigo lidar com coisas dessas como do menininho da foto, sem lamentar profundamente... Dá uma dor de olhar...

Bem... Beijinhos...
Vou te mandar as coisinhas para teu enderço.

Bom domingo!!!
Cris

03 junho, 2006  
Anonymous Alena said...

então por que vc também a publica? E usa a estratégia de atiçar a curiosidade alheia colocando o link depois do drama que expõe?
Não entendi. Me pareceu demagogia...

03 junho, 2006  
Anonymous Romullo Pontes said...

Fala Marco, obrigado pela comentário lá no Blog do Noel.

Achei interessante o seu ponto de vista sobre a influência que as conquistas da seleção faz na história do país. Mas em uma coisa eu tenho que descordar de você. Eu prefiro o Hexa! Até por que é bem veradade que o conglomerado político deste país não fará nada mesmo. Eles nunca fazem nada. Tudo no Brasil é extremamente burocrático e o pior é saber que isto é feito de propósito.

Sobre o post. Eu também odéio estes e-mail mal-vindos.

Apareça sempre que quiser. Um abraço!

04 junho, 2006  
Blogger ariadne said...

Marco, eu não abri a imagem pq não tenho curiosidade mórbida das massas e concordo em gênero, número e grau - superlativo - com vc

abração , até o próximo post. Tem aparecido gente boa por seu intermédio lá no Fio :-)

04 junho, 2006  
Anonymous Ale Carvalho said...

Sem dúvida, é o tal do aspecto bizarro da humanidade. Não é à toa que programas de TV como Linha Direta continuam na programação há anos. As pessoas gostam de ver e dizer "coitado, ainda bem que não foi comigo". abs

05 junho, 2006  
Blogger Marco Aurélio said...

Estou fazendo este comentário por causa do post (http://resquiciosdodia.blogspot.com/2006/06/sobre-blogosfera.html ) da Carmen.

Carmen

Como você mesmo disse, este espaço é democrático e costumo respeitar todas as opiniões até quando mesmo quando me chamam de demagogo como você pode observar em um dos comentários acima. Não vi problema no comentário da Lúcia. Uma cirurgia neste caso não é sinônimo de mutilação. Se pudesse entender o que se passa acredito que seria um anseio da própria criança. Não acho falta de ética o que a Lúcia disse muito menos que teve uma posição egocêntrica e nazista. Se achasse claro que me manifestaria. Será que o menino vai sofrer mais com a curiosidade e com o preconceito ou com um “bisturi” e anestesia, agora que é criança e tem chance de nem se lembrar do que aconteceu? É muito fácil ficar comentando e conjeturando o que deve ser feito numa situação dessas quando temos dois braços.

Bj.

05 junho, 2006  
Blogger Lucia Stevenson said...

Acho que as pessoas tem que simplesmente aprender a ouvir e respeitar a opiniao dos outros mesmo sem concordarem. Ninguem pensa igual, mas nao e' por isso que vamos comecar a julgar e acusarem os outros que nem conhecemos de adjetivos muito feios. Acho isso imaturidade e falta de respeito.

As pessoas que me conhecem sabem mt bem que eu nunca trataria mal nem indiferentemente qq individuo nesse planeta, muito menos pensaria que fosse inferior. Mas se fosse meu filho, eu nao ia pensar duas vezes em fazer a cirurgia nele. Infelizmente sao raras as pessoas que conseguem ver alem de um defeito fisico e enxergar os outros por dentro. E nunca que eu faria meu filho passar por preconceitos humilhantes de pessoas ignorantes que so machucariam uma crianca por dentro durante praticamente sua vida toda. Nao acho nada de errado com cirurgia.

05 junho, 2006  
Anonymous Anônimo said...

Hey what a great site keep up the work its excellent.
»

11 junho, 2006  
Anonymous Anônimo said...

I love your website. It has a lot of great pictures and is very informative.
»

21 julho, 2006  
Anonymous Anônimo said...

I find some information here.

23 julho, 2006  

Postar um comentário

<< Home