sexta-feira, março 03, 2006

Gasolina, alcool ou água ?

A gasolina tem um rendimento maior que o álcool. Com 70% da mesma quantidade de álcool, o carro a gasolina percorre a mesma distância. Concluímos então que o álcool precisa ter no máximo 70% do preço da gasolína para compensar os litros extras, necessários para equilibrar o rendimento. Matemática simples.
Com base nestes dados e confiando no governo, muitos brasileiros em 2005 apostaram nos carros bicombustível (Total Flex). Quando o álcool estivesse barato, o motorista o substituiria pela gasolina. Ledo engano. Tanto o álcool quanto a gasolina dispararam nas bombas devido ao aumento do preço do álcool nas usinas. Esta alta é multifatorial. Entressafra da cana-de-açúcar, aumento dos preços do açúcar no mercado internacional, elevação das exportações, crescimento da demanda interna com a popularização dos carros bicombustível e especulação, são algumas das causas. Foi reduzida de 25% para 20% a mistura de álcool na gasolina, medida que objetiva diminuir a demanda por álcool e garantir o abastecimento. Claro que em face ao exposto a medida é inócua. Uma das saídas seriam os estoques reguladores do governo, coisa que os usineiros não querem com medo da intervenção baixar demais os preços. E o preço dos fretes ... ? Já tive um Uno a álcool e cheguei a abastecer por R$0,43/l. Pensei nos Total Flex numa ocasião. Agora tenho dúvidas. Como podemos fazer projetos a longo prazo num pais de tantas incertezas ?
Na dúvida continuo com meu golzinho monocombustível que outro dia deu 150km/h na estrada. Vou aderir também a andar um pouco mais a pé com minha garrafinha de água.

10 Comments:

Blogger Paulinha / Zut said...

Estranho né? no Brasil nada da certo...
Os preços estão sempre aumentando... seja alcool, gasolina, telefone... incrivel não acha? mas o pior não é isso... o pior de verdade, é que muitas das vezes não sabemos o por que aumentou, e em grande parte das outras a desculpa é sempre a mesma. O alcool utilizado como combustível parecia que ia dar certo... com um preço barato e um produto nacional. Fomos inclusive elogiados pelo nosso amiguinhu Bush que disse que iria investir no alcool brasileiro. Então me diz: deu errado pq? eu ouvi falar de um acordo de diminuição dos preços... mas devo ter ouvido errado... ao invés de diminuir eu somente consegui enxergar aumentos... doce ilusão... Acho que o ideal no momento é todos comprarmos bicicletas ^^ ou entao andar a pé, ambos parecem ser uma boa alternativa para diminuir nossos gastos... pelo menos por enquanto...

Abraços!

03 março, 2006  
Blogger Marco Aurélio said...

Andar de bicicleta e a pé são boas alternativas no caso do transporte. E a indústria química que usa o petróleo como matéria prima? E o gás de cozinha? E o preço dos fretes gerando inflação?
Na década de 80 o pro-álcool foi muito bom até a crise do desabastecimento. Deu certo uns tempos.os motivos para a alta foram os que estavam no post.

Küchen

03 março, 2006  
Blogger WAPTE said...

Eu nunca tive um carro. Não porque ache que um carro não é uma necessidade vital nos dias de hoje. Já fui salvo pla existñcia de um. É por incompetencia mesmo. Não tenho o dom de dirigir. Entretanto, o problema do preço dos combustíveis me aflige como se tivesse, porque afeta a todos. Também porque acho que há muitos anos, esse problema vem, sendo tratado de maneira eleitoreira, e isto afeta tanto a mim quanto a todos vocês. A coisa funciona assim: Os usineiros do Nordeste conseguiram montar uma bancada no Congresso Nacional que deixa inveja na bancada evangêlica. Toda vez que ficamos próximos de uma eleição importante, quer seja o Lula quer seja o FHC, quer seja o Collor, quer seja o Sarney, ou outro pilantra qualquer, ele começa a fazer concessões para essa laia. Aí nós sofremos. Qual a solução?. Não temos, pelo menos pela maneira tradicional. Pelo voto o Brasil vai sempre ser essa "potenciazinha ridícula". Campeão da mistificação. Não tem jeito, ou nós depomos todos esses pilantras de maneira compulsória, ou vamos ter que ficar torcendo pelo país que tem a maior ponte rio-niteroi do mundo. A baixinha dançando brasileirinho, o Guga ficando nervoso, o Popó (Cadê ele?) dando porrada, o FHC falando inglês fajuto para rainha, o Lula dando vexame por onde passa. O Sarney escrevendo "Marimbondos de Fogo", O Rubinho corrrendo, correndo... A Fenanada Montenegro ganhando oscars. Mas na verdade o Brsil é uma nação com o peso mundial de um Hawai. Todo mundo vai falar da criatividae do brasileiro, da tolerancia do braileiro e outras balelas que ouço há 50 anos. O Brasil é um gigante adormecido que jamais se levantará do berço desta maneira. Se ganhar o hexa, dentro de pouco tempo a maioria dos iletrados não saberá como dar o prefixo grego corrsepondente ao numeral. Irk, tô cansado...

03 março, 2006  
Blogger Marco Aurélio said...

Você nunca teve carro por excentricidade não por incompetência. Dirigir você sabe. Grana você tem. Também concordo que esse problema vem, sendo tratado de maneira eleitoreira.Os usineiros tem uma bancada no Congresso Nacional que atualmente entre outras coisas impede a manutenção de estoques reguladores do governo.

Volte sempre.

03 março, 2006  
Blogger Meu Neguinho said...

Não tinha cogitado a hipótese eleitoreira sobre o preço do alcool. E a considero bem provável. Imagina se o alcool virar um combustível mundial, como tudo indica que sim? Lançamos a moda, fabricamos mas não podemos comprar por que é caro.

03 março, 2006  
Anonymous Anônimo said...

fazer o que se nos nao temos a maior area de reserva de petroleo como o Oriente Medio?se nos nao somos um pais que tem uma "PUTA"exportaçao como eles?vamus continuar tendo aumentos,ainda mais que lançou esses carros biconbustives,hãm...ai que voces vao ver como que o alcool vai continuar subindo...Andre Triginelli

08 março, 2006  
Blogger raôni said...

Gás please? Eu soube que ja foi inventado um carro a eletricidade e que ele eh um pouco + caro q os a combutiveis fósseis + tb + economico com pouca potencia pode chegar a 90 km/h em superficies planas e tb nao tem muita potencia eh usado por poucas pessoas na europa em cidade altamente niveladas um carro desse nao pode ser usado em uma cidade como belo horizonte, imagina só subindo a augusto de lima (nunca que sobe) u processo de aprimoraçao do carro a eletricidade ainda ta em andamento e vai demorar a ser usado pela sociedade

08 março, 2006  
Blogger Marco Aurélio said...

Raôni e André

Que tal levarmos esta discussão para a sala?
Não temos reservas de petróleo como o Oriente Medio,mas somos autosuficientes. O gás tembém é uma boa alternativa.

Um abraço

09 março, 2006  
Anonymous Anônimo said...

nossa...com ceteza,mais temos que pensar no futuro,como,o alcool era muuito barato ate que fizeram o motor"flex power",por ai voces veem,que as coisas nao sao bem assi,pelo menos no meu ponto de vista,ainda mais em um pais dependente como o Brasil.Nao demora muito o gas sobe tambem,iai meus amigos?como que vamus fazer?bom,esse e meu ponto de vista!se eu estiver errado,gostaria de uma justificativa plausivel que me convencesse...abrços...Andre triginelli

10 março, 2006  
Anonymous Samuel said...

Olá, gostaria de te convidar para participar de uma rede de conteúdo para blogueiros.

Chama Ocasional, se você tiver interessa veja como funciona a rede aqui em www.ocasional.com.br/howto.aspx ou então pode enviar um email no smatosjr@gmail.com

Abs,
Samuel

25 maio, 2010  

Postar um comentário

<< Home