quinta-feira, janeiro 11, 2007

Evasão escolar

"Os professores eram muito chatos. Não sabiam explicar nada e repetiam todo mundo. É por isso que só tinha marmanjo na 6ª série ".

Esse breve relato de uma adolescente de 16 anos ajuda a entender em uma das principais razões que levaram 1,7 milhão de jovens entre 15 e 17 anos a não estudarem em 2005. Logo depois ela parou e engravidou. Na escola pública em que trabalho estamos com uma taxa de evasão enorme e estamos estudando o problema, inclusive com assessoria especializada, e chegamos a conclusão que mais do que o custo do transporte ou mesmo a necessidade de trabalhar, é a falta de vontade de estudar que os empurra para fora da escola. Essa razão foi identificada em aproximadamente 40% dos casos entre os que não estão em sala de aula. A necessidade de trabalhar vem depois com pouco mais de 17%. Se a escola não for atraente e não fizer algum sentido ao jovem, ele vai abandoná-la mesmo que suas chances no mercado de trabalho sejam boas ou convidativas. Destaco a importância do professor nessas horas. Um bom professor inspira os alunos e os motiva. Dou um contra-exemplo do relato do inicio da postagem. Recentemente vi uma aluna de um professor chamado Sebastião Reis da cidade de Montes Claros exaltando as qualidades deste educador muitos anos depois de ter sido sua aluna. Além de lembrar o seu nome sem pestanejar, me disse que o que aprendeu com ele no ensino fundamental, serviu entre outras coisas para nem precisar ter um caderno de língua portuguesa no ensino médio. Dizia isso num Português dos melhores que já presenciei.

Esse é apenas exemplo de como a evasão escolar pode ser diminuida.

3 Comments:

Blogger Claudia Perotti said...

Marco,

Agradeço-te a tua visita e teu comentário no meu blog.
Não conhecia o teu espaço e com certeza voltarei!

Beijinhosssss

11 janeiro, 2007  
Anonymous Cantábile said...

Li sobre isso na folha de SP. Graças à Deus eu tive excelentes professores na minha base , inclusive fui apaixonada por alguns (rsrsr), o que ajudou bastante na minha formação. Com a intensão de seduzir o mestre , eu acabava estudando muito mais !

11 janeiro, 2007  
Anonymous enconha said...

penso que pais e professores têm a reponsabilidade e capacidade para diminuir significativamente esses dados lamentáveis,conheço um homem muito especial, que apesar de nunca ter se sentado num banco de escola(esse direito lhe foi negado)aprendeu a ler e escrever e o fato de ser um simples lavrador não o impediu de proporcionar aos dez filhos aquela que segundo ele seria sua herança: a educação formal e o mais importante, o amor e respeito pelos estudos.

18 janeiro, 2007  

Postar um comentário

<< Home