quarta-feira, maio 03, 2006

"Cotidiano das Escolas: Entre Violências"


Uma das conclusões de uma pesquisa feita pela Unesco, MEC e Observatório de Violência nas Escolas e gerou o livro "Cotidiano das Escolas: Entre Violências", é que as escolas não apenas refletem a violência que acontece fora delas mas também produzem a sua própria. A pesquisa mostrou que 47% dos professores ou funcionários já foram xingados por alunos e que 51% dos estudantes consideram o clima na escola ruim, péssimo ou mais ou menos."Essa violência no cotidiano da escola que acontece por meio de agressões verbais, xingamentos e das próprias relações sociais, têm graves conseqüências. Como o aluno vai aprender num clima escolar como esse, em que existe uma banalização completa da incivilidade?", afirma a socióloga Miriam Abramovay, coordenadora da pesquisa. O contrário também acontece. Na sexta feira passada, vi uma discussão entre um professor e um aluno nos corredores da escola estadual onde trabalho a noite. Tentei intervir pois o clima estava ficando realmente feio e o professor é mais velho e o aluno tem um histórico um pouco complicado. Quando tudo estava ficando resolvido e chamei os dois para conversar o “professor” disse:
“ Não quero conversar com essa desgraça não, não é a toa que é aleijado”
Fazendo referencia a um problema físico que o aluno tem. Dá para acreditar? Os problemas de violência entre professores e alunos partem em sua maioria dos alunos, mas existem uma minoria de casos patológicos feito esse. Lamentável!

22 Comments:

Blogger luma said...

Existem professores desatualizados que não sabem lidar com a nova juventude e ainda por cima esses "sem noção". A escola não deveria ser uma extensão da casa do aluno?

03 maio, 2006  
Blogger samurai said...

Inferiorizar alunos, so ensina uma coisa: resignação frente ao fracasso. Se não tomarmos cuidados, nossa salas de aula, terão detectores de metais, câmeras de vídeo para vigilância e guardas de segurança.
Problema complexo e de carater estrutural. Embora o percentual maior de violencia seja gerado por alunos e ex-alunos, é a escola que precisa rever seu papel ,entender inclusive, que a violencia na escola é diferente da violencia nas ruas.
Alessandro

03 maio, 2006  
Blogger polittikus said...

Diz-se que este é um problema dos países do terceiro mundo, mas já chegou à Europa, uma zona su+postamente do 1º mundo... pois é...

03 maio, 2006  
Blogger Pedro Gama said...

Parece que a barra está pesada nesses corredores, não, Marco.

Por cá, por terras lusas a situação não está menos preocupante. A violência nas escolas acontece em demasia, e os professores não são os melhores exemplos de civismo...

E neste ciclo vicioso, que nasceu primeiro: a galinha ou o ovo.

O que noto, por aqui, é que há uma falta de preparação dos professores de conseguirem controlar situação de tensão. acho que confundiram liberdade com libertinagem e a coisa começou a tomar proporções monstras. Agora, nem os professores ensinam direito, nem os alu8nos respeitam os professores... quem é que consegue aprender, seja o que fo, no final de um ano lectivo???

03 maio, 2006  
Blogger nunocavaco said...

Isso é o espelho da nossa sociedade. O desprezo pela pessoa humana é um facto que deve ser combatido.

03 maio, 2006  
Blogger Henrique Parra said...

Boa tarde...gostaria de saber se você já leu o último texto no nosso blog e se gostou.

Grato boa sorte!

03 maio, 2006  
Anonymous vera said...

Olá quero te convidar para conhecer meu blog e as imagens (proibidas) postadas a pouco. :-) bjs

03 maio, 2006  
Anonymous hotel-fazenda said...

legal hein

03 maio, 2006  
Blogger Santa said...

Marco,
Obrigada pela visita!
Foram 40 dias de férias. E o meu blog continua vivo. Incrível! Sou muito grata a vocês.
Bjs

03 maio, 2006  
Blogger Marcos Tchôla Rodrigues said...

Pôxa Marco,
não sabia que a coisa anda tão complicada assim. Estamos, inclusive, realizando levantamentos por aqui para repercutir o tema abordado por vc. Valeu pela passagem no nosso blog!

03 maio, 2006  
Blogger vanessa said...

é realmente muito grave essa tensão que há entre alunos e educadores. E entre alunos tb. Chocou o país na última semana o caso do estudante que levou para a sala de aula uma arma calibre 38 e, "brincando" de roleta-russa, matou, com um tiro na cabeça, o colega de sala. Na reportagem, uma professora, desesperada, falou algo como "não podemos evitar, não podemos fazer nada, na escola professor virou refém do aluno!". É absurdo! E ainda vale dizer, mesmo sendo piegas, que sem educação, o país não vai pra frente!

03 maio, 2006  
Blogger Vera Fróes said...

Marco, num ambiente onde o professor ganha uma miséria e se sente desprestigiado não é difícil de ver alunos também marginalizados pela vida, descontarem na escola a sua revolta. Tudo está errado, e essa banalização da violência merece uma atitude dos governantes, dos educadores e da sociedade. Só assim pode haver uma mudança!

Bjos.

03 maio, 2006  
Blogger Lâmina d'Água, Silêncio & Escriba said...

Caro professor!!!

Fiquei aqui imaginando a cena...

para mim, o senhor está corretíssimo em estar espantado com o desatino de um professor desses, mas não me parece mesmo que o quadro possa ser diferente. Sabemos todos que a educação remunera mal, mas salvo raríssma excessões, os professores também deixam um abismo descomunal entre o que deveriam ser e representar e o que de fato são. Se no esnino privado, nos deparamos com verdadeiros seres dignos da pré história, no ensino público a desgraça só se acentua, em razão da garantia do emprego e salário, ainda que baixo. Cabe aos mais velhos, o exemplo. Se não somos capazes de fazer isso, não poderemos também nos valer do direito de reclamar. Professores que segregam alunos ou tentam validar créditos justificado atos através de agressões e abuso de poder, sendo esses quais forem, nunca merecerá ser respeitado. E o retorno disso pode muito bem ser visto no comportamento da sociedade escolar.

Há muitas formas de agressões. Muitas delas, quase invisíveis, mas o resultado delas, todos sabemos.

Uma boa noite com um abraço!!!

ò,ó

03 maio, 2006  
Blogger andarilho said...

É curioso que este tipo de fenómeno varia consoante o contexto cultural. Sou professor do ensino superior no Oriente. O tipo de reacção é diferente. Há um princípio de conformidade e submissão do aluno ao professor que tem a ver com uma cultura de obediência e bom comportamento que é ministrada desde as carteiras da primária. Ninguém questiona a opinião do professor, e raramento põem questões. Daí que tenhamos que ser mais subtis e forçar a participação. Os alunos são muito críticos, mas sabem diferenciar (acho) um professor exigente mas justo; de um que é baldas e incompetente. Nisso são mais rigorosos que nós fomos (tenho 52 anos)para com os nossos mestres. Em curcunstância alguma pode haver desrespeito.

03 maio, 2006  
Anonymous Mércia said...

Existem sim, professores, homens...pessoas totalmente sem noção de civilidade, caridade e amor ao próximo! Pecam pela arrogância, pela vaidade e não sabem lidar com outros seres humanos. É uma pena!
Bjos...uma quinta-feira de muitas alegrias.

03 maio, 2006  
Anonymous Laura Pragana said...

Estou espantada como que um "professor" desse ainda dá aulas...pra mim esse cara naum tem capacidade de fazer nada..um cara que fala,e age dessa forma com um aluno deve ser punido...
A maioria dos professores se sentem melhor do que os alunos...isso é riduculo!Todos somos seres humanos com defeitos e qualidades...temos que respeitar um aos outros!!!
Estou muito trsite...mas espero que nao aconteça nada alem disso...
coitado desse aluno!

04 maio, 2006  
Anonymous Ráh Ribeiro said...

Olá..

Bom, acho que um fato como este, uma pessoa que tem uma atitude como esta, deveria ser banida!
Não podendo praticar o cargo.. Isto foi um absurdo! Com certeza eles deveriam tirar este professor de circuito! Isso não tem logica, ele como professor tinha que dar exemplo! E não ter uma atitude dessas.. Hoje tive uma aula com o MArco Aurelio, e a aula dele é muito boa! Assim fica muitoo mais facil o aprendizado!
O aluno se interessa pela aula! E não como este SUJEITO... Que nao podemos nem chamar de professor!

Bom, espero que o pessoal do colegio tomem uma atitude com este cara... Com certeza com os alunos ele não tem nenhuma moral!

04 maio, 2006  
Anonymous Henrique 8ªsérie said...

Marco Aurélio minha opinião sobre este caso é o seguinte, eu acho que este professor tinha que ser penalizado de alguma forma....Eu acho que ele simplismente tinha que ser afastado do cargo pelo menos por um mês...isso é um preconceito,so porque o menino tem problemas físicos ele não pode falar o que ele falou....eu acho que o menino foi muito legal com ele pois se fosse comigo esse professor mesmo depois de estar no hospital e eu respondendo processo eu entraria com um processo contra ele por Discriminação....
Vou ficando por aqui....
Um Grande Abraço para você!!!!

04 maio, 2006  
Anonymous Fã do Henrique da oitava A said...

Henrique

Não fiz nenhum comentario até agora mas não consegui me conter no seu. Se fosse com você esse professor estaria duplamente "fud..," além estar no CTI ele estaria respondendo processo por discriminação que é o que acho que ele merecia. Você é um gato! Vê se me nota!!!!!!!

Bjs

04 maio, 2006  
Blogger Lia Noronha said...

Marco: as injustiças sempre nos ferem direta ou indiretamente,não é mesmo?
Abraços carinhosos e boa noite.

04 maio, 2006  
Anonymous Henrique 8ªsérie said...

Eu estou passando aqui para falar com essa minha fã que se ela quiser falar algo comigo que tem o meu flog que é www.fotolog.terra.com.br/rick_2007 tem meu msn que é henriqueremigio@hotmail.com e meu orkut eu passo pelo msn...
bjos e muito obrigado pelo comentário!!!

05 maio, 2006  
Anonymous Anônimo said...

O professor alem de ser muito doido,de se "pegar" com o aluno tem a coragem de ate menospresa-lo..........muito doidooooo mesmo!!!
LOREDANA

19 maio, 2006  

Postar um comentário

<< Home