segunda-feira, outubro 10, 2011

Lembranças nostálgicas



Esta escadaria é das ruínas da casa do Seu Ismael e da Dona Zarinha, avós biológicos do meu saudoso amigo Marcílio. A casa da Beth, mãe do Antônio e do Júlio gora é um prédio de 4 andares! Estão verticalizando e matando o nosso bairo Serra. As casas do "Navarrão", da Yamara e do Barçante, como pequenos exemplos, tiveram o mesmo triste fim. A tradicional e antiga mercearia Mello da minha infância Ceteris Paribus! Agora é uma pizaria com pretensões sofisticadas que só fica vazia e a meu ver é de péssimo gosto. Não posso afirmar com propriedade pois ali não adentrei nem nunca mais entrarei por aquelas portas que fui o último a fechar. Digo as antigas portas metálicas que emperraram para fechar e abrir durante anos todos os dias 50 anos aproximadamente, das 7 horas até por volta das 21. Segundo a "Dilma" parte quase arquitetônica e jurássica do estabelecimento, por alguns anos foi aberta as 6 hs para o meu pai tomar duas cervejas antes de ir para a universidade. Quando ela estava chegando ele já estava lá com o jornal, entrava rabiscava suas aulas em papéis de maços de cigarro, tomava duas Brahmas e rumava para a UFMG. É desalentador ver tudo que é sólido em nossas vidas se desmanchar no ar! Pessoas, edificações, amizades...resta as vezez a lembrança tão sublime dos que passam...

4 Comments:

Blogger Almir Amarante said...

É mesmo difícil ver nosso mundo sendo levado sem piedade. Mas não conseguem levar nossas lembranças. Isso nos pertence e só a morte ou a demência podem tirar.

10 outubro, 2011  
Blogger Crepão do Gordinho said...

Com certeza Coréi..., nossas memórias estão sendo demolidas e diluídas em tanta argamassa e alvenaria dessa tamanha destruição chamada evolução...! Será que quando Darwin previu a evolução das espécies, ele sabia que essa mesma evolução traria o fim de todas as espécies? Ao continuarmos nessa insana e voraz evolução argamástica, junto ao capitalismo selvagem nossos netos ou bisnetos talvez nem tenham água, ar e nem mesmo espaço físico para contar aos filhos deles que onde existe um prédio, antes tinha um lote vago(raridade hoje...rs) e que ali muitos dos seus bisavós e amigos deles, divertiam numa brincadeira de pique esconde, uma fogueira ou até mesmo um acampamento improvisado....

By Pablão

10 outubro, 2011  
Anonymous cgar said...

Ver a serra ser derrubada e reconstruida é muito deprimente. Imaginar que a casa da vovó, daqui alguns anos pode nao estar mais la é pior ainda.

10 outubro, 2011  
Anonymous Anônimo said...

Nós que moramos nas proximidades dos lugares aos quais vc se referiu, sentimos claramente o que foi dito.Fica a saudade , um sentimento de vazio e as histórias dos que ali viveram.A vista linda que tínhamos da Cidade é agora uma parede.É isso!JAAR

15 outubro, 2011  

Postar um comentário

<< Home