segunda-feira, agosto 21, 2006

Cadê o Grisha?

Um dia desses estava conversando com alguns alunos sobre a Medalha Fields considerada o Prêmio Nobel da matemática, e contei alguns casos celebres sobre alguns agraciados. Quase todos mostraram uma profunda indignação quando souberam que só cientistas com até 40 anos podem disputá-la. A medalha neste ano já tem um forte candidato, o russo Grigori “Grisha” Perelman. Ele anunciou há três anos que encontrou a solução para a conjectura de Poincaré. Tentando ser bem simples, a conjectura diz que qualquer objeto compacto e sem buracos, como uma Pêra ou um coelho, pode ser deformado até transformar-se numa esfera. Não é possível fazer isso com um pneu ou qualquer objeto que tenha um furo. A conjectura de Poincaré desafia os matemáticos há 100 anos e é uma questão central da topologia, ramo da matemática pelo qual sou apaixonado. Será difícil prestar homenagens a Perelman porque ele desapareceu. Acredita-se que ele está vivendo nas florestas próximas a São Petersburgo, onde sempre teve o hábito de caminhar em busca de cogumelos. Segundo um amigo, “Ele sempre pareceu meio fora deste mundo, uma pessoa muito tímida e totalmente desligada de bens materiais”. Se for encontrado Grisha receberá com 1 milhão de dólares do Clay Mathematics Institute como prêmio por ter resolvido a conjectura de Poincaré.

Muito doido!

Se quiser mais detalhes sobre a conjectura de Poincaré clique aqui.

12 Comments:

Anonymous Carmen said...

Adorei a história, Marco. Quem é REALMENTE bom não espera receber louros por seus feitos. Já está em outro nível. Esse Grisha deve ter atingido o nirvana e nem está pensando em dólares ou reconhecimento.

Gostei muito mesmo. São essas pessoas que fazem a gente querer ser menos medíocre ou vaidoso.

P.S.: Deletei o primeiro comentário porque esqueci de omitir meu link.

21 agosto, 2006  
Blogger Marco Aurélio said...

Carmen

Acredito que TODAS as pessoas que ganharam o Nobel ou a medalha Fields não estavam buscando reconhecimento e sim descobertas, soluções de problemas, enigmas e coisa e tal. Gente simples e genial. Legal foram os que recusaram formalmente como o Sartre. Não quero mais, em ciência, que entender algumas coisas que há anos tento e não consigo. Descobrir e solucionar deixo a cargo dos gênios e para os pretensiosos.

Bjs

21 agosto, 2006  
Blogger Alex Manzi said...

Sei onde está o Grisha! E revelarei tudo no meu próximo livro, "O Código Grisha". O que posso adiantar é que a Igreja Católica tem muito a ver com esse desaparecimento. Afinal, a Matemática é a chave para entender o universo, e muita gente se incomoda com essa idéia.

Ósculos Grishianos.

21 agosto, 2006  
Blogger WAPTE said...

O Grisha está catando deliciosos cogumelos num local inacessivel aos sabichões. Para ele a conjectura de Poincaré é como o problema do bode para nós mais simples mortais. Ficar procurando chifre em cabeça de cavalo é próprio de quem não tem o que fazer. O Grisha não faz mal a ninguém, nem tampouco a matemática. Eu fico de saco cheio daqueles que não têm nada que apresentar e ficam dando de sabichões e inventando estas teorias malucas de perseguições e conspirações. Deixem o Grisha em paz. Ele era um tremendo dum comuna, membro do PC que deve estar desiludido com os babacas que agora dominam o mundo com besteiras do tipo rede globo. Para estas pessoas eu recomendo que larguem tudo de lado e estudem o que significa a "certeza" pois que não é mais hipótese de Poincaré e detecte como isto pode ajudar em sua vida, se é que tem cérebro adequado para isto.
Falou!

21 agosto, 2006  
Blogger Marco Aurélio said...

Pai

Como é bom te ver de novo por aqui. Feliz dia dos pais atrasado!
Tem horas que sou mesmo muito relapso. Espero que feito o Grisha eu não esteja fazendo mal a ninguém, muito menos para a matemática. Ainda bem que nas florestas próximas a São Petersburgo,não existe o PT, o PCC nem televisão para ligar na rede globo. Espero que ele encontre TODOS os tipos de cogumelos e que esteja a salvo dos sabichões.
Enquanto isso aqui no mundo dos mortais, estou dando aula nos três turnos e continuo procurando chifres na cabeça de cavalos.
Esse blog parece ser uma prova disso. Quando vai aparecer de novo aqui em Belo Horizonte? Não demore e vê se traz a Gláucia.

Falô.

21 agosto, 2006  
Anonymous Felipe Guimarães said...

Esse grisha parece mais doidão que o marco aurelio. nao sabia quw esse wapte era seu veio, é verdade que ele mora com os indios?

21 agosto, 2006  
Blogger Marco Aurélio said...

Felipe

Algumas vezes o Wapte fica no Acre entre os índios fazendo pesquisas de campo. Não mora com eles.

Um abraço

21 agosto, 2006  
Blogger Juraciara said...

Quanto tempo heim!!! Gostei de saber sobre o "Nobel" de matemática...mas confesso que achei um verdadeiro absurdo (preconceito) a idade limite para participar. Existe uma razão para isso? Acham que somente cientistas até 40 anos podem fazer algo de útil pela matemática no futuro e os que já ultrapassaram tal idade estão perto da morte e, portanto, não contribuirão?
Grande abraço e eu não esqueci do meu livro heim!!! Vamos combinar de me entregá-lo...marque um dia...
Ju

21 agosto, 2006  
Anonymous douglass.amorim said...

e incrivel, que as pessoas muito inteligente sao desligadas do mundo material, timidas e sensatas.
mas e muito admiravel.

e muito doido!!!!!!

22 agosto, 2006  
Anonymous Marcus du Satoy said...

“Ninguem sabe onde está. Me parece que não tem interesse nem em medalhas, nem em dinheiro.

22 agosto, 2006  
Blogger Marco Aurélio said...

Eu sabia que o Grisha ia rejeitar a medalha Fields. Veja:

http://www1.folha.uol.com.br/folha/ciencia/ult306u15058.shtml

23 agosto, 2006  
Blogger Ricardo Rayol said...

Matou a pau a explicação sobre o que é a conjectura. Tentei entender nos sites especializados e me deu um nó ahahahahah Quanto ao russo, recusando o prêmio, mostrou que não é bom de contas...

27 agosto, 2006  

Postar um comentário

<< Home